O perigo do isolamento

Atualizado: Set 24



A pornografia nos isola do mundo real. Com a prática da masturbação, que está vinculada à pornografia, a nossa mente automaticamente irá se isolar.


Por conta desse vício, que se torna um ciclo, nós nos afastamos primeiramente de Deus, e da sua presença. E, acabamos nos afastando de uma vida social.


Na narrativa bíblica, nós temos o exemplo do rei Davi, que estava sozinho quando pecou.


“E aconteceu que, tendo decorrido um ano, no tempo em que os reis saem à guerra, enviou Davi a Joabe, e com ele os seus servos, e a todo o Israel; e eles destruíram os filhos de Amom, e cercaram a Rabá; porém Davi ficou em Jerusalém. E aconteceu que numa tarde Davi se levantou do seu leito, e andava passeando no terraço da casa real, e viu do terraço a uma mulher que se estava lavando; e era esta mulher mui formosa à vista. E mandou Davi indagar quem era aquela mulher; e disseram: Porventura não é esta Bate-Seba, filha de Eliã, mulher de Urias, o heteu? Então enviou Davi mensageiros, e mandou trazê-la; e ela veio, e ele se deitou com ela (pois já estava purificada da sua imundícia); então voltou ela para sua casa.” (2Sm 11:1-4).

Interpretando à luz da Palavra, podemos entender que há uma grande probabilidade de sermos tentados na área sexual quando estamos isolados. Isso pode ser também quando estamos com uma pessoa. Portanto, nossa mente deve ser cheia da verdade de Deus, e da sua Palavra.


Gostaria de validar essa situação do isolamento com o resultado de conversas em aconselhamentos que faço aos adolescentes e jovens de 13 a 26 anos, que caem na compulsão sexual quando estão isolados.


É preciso ressaltar que ter tempo de qualidade com Deus, tempo de oração, por um período sozinho, não significa isolamento, e sim buscar a sua presença e crescimento espiritual.


Deus não explora o seu relacionamento com o homem, mas, ele cultiva o relacionamento. O Espírito Santo é o maior exemplo de que Deus anseia estar próximo do homem. Mesmo sem toda a humanidade caminhar com Deus, Ele caminha com a sua criação.


A unidade faz parte do projeto social e antropológico de Deus. Somos o corpo de Cristo, sua imagem e semelhança na Terra. Por isto, não devemos nos voltar para uma cultura marginal, que tenta nos afastar da vida que Deus nos entregou por sua graça.


O nosso adversário sabe trabalhar em meios para nos tentar quando estamos isolados. São nesses momentos que mostramos a nossa identidade em Deus, e se estamos realmente alicerçados em seus fundamentos.


A pornografia tem roubado a intimidade com Cristo


“Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente.” (Mt 6:6)

A pornografia tem colocado o pecado no lugar da nossa intimidade com Deus. É comum conversar e aconselhar jovens, e até mesmo pessoas casadas, e nos depararmos com o fato de que trocaram o seu tempo de qualidade com Deus por sites pornográficos.


Muitos têm como base o ensino errado da graça, para não se sentirem pecadores. Com isto, escondem-se na autojustificativa e não são transformados pela graça.


A graça é Cristo, quem nos prega Santidade e Pureza! O evangelho é o poder de Deus, é a revelação da alegria e do prazer da obra completa de Cristo!


“Também os teus testemunhos são o meu prazer e os meus conselheiros”. (Sl 119:24)

“Tu me farás ver os caminhos da vida; na tua presença há plenitude de alegria, na tua destra, delícias perpetuamente”. (Sl 16:11)


Quando afundamos a nossa mente na pornografia, perdemos a alegria verdadeira, pois saímos da Presença de Deus!


Jesus tem de ser a nossa alegria completa. Quando Cristo é tudo em nós, então a verdadeira alegria que gera prazer, será pura. Devemos encher a nossa mente da Palavra de Deus!


John Piper escreveu:

“Olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus” (Hb 12:2). A cruz foi horrivelmente dolorosa e vergonhosa e Jesus olhou para os milhares de adoradores e se alegrou nisso e suportou a cruz. Não pense que você tem uma motivação mais nobre que Cristo. A busca da alegria (prazer) foi o poder que carregou nosso Salvador. Creio que não há nenhuma outra razão que eu possa dar maior que essa.”


Paul Washer disse:

“Se colocamos qualquer outra coisa à comparação da nossa alegria, se não for Cristo Pleno, estamos blasfemando contra a sua obra.”


A pornografia é o reflexo da nossa vaidade e concupiscência (aquilo que é deleitoso aos olhos). Quando olharmos para a Cruz de Cristo, então teremos a destruição completa da pornografia, que é o espírito de idolatria ao mundo, que odeia a Deus que tanto o amou.


A pornografia ativa a área de prazer em nossa mente, que é a recompensa por algo. Isso mostra como o nosso adversário tem enganado a nossa mente, colocando diante de nós um prazer destruidor!


A pornografia não deve ser a busca pelo prazer, pois, somente Deus é suficiente em nossa vida para nos trazer a verdadeira alegria!


Por isso, nós precisamos ir à presença de Deus. Todas as vezes que a tentação vier, devemos correr para o trono da graça, de forma correta, para alcançarmos a misericórdia de Deus, e resistir ao diabo para que ele fuja de nós.


Jesus e a tentação


Jesus estava sozinho no deserto, em um tempo de jejum e oração. Foi nesse momento que o inimigo se aproximou para provar a identidade de Jesus como Filho de Deus (Mt 4).


Em todas as situações o diabo jogava: “Se tu és o Filho de Deus [...]”. Porém, Jesus não se deixou vencer, pois, baseado na Palavra de Deus, Ele destruiu todos os intentos do diabo que se levantam contra o conhecimento de Deus.

“Porque, andando na carne, não militamos segundo a carne. Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas. Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo.” (2Co 10:3-5)


Em tudo Jesus foi tentado, viveu na pele as nossas fraquezas, para que pudéssemos tê-lo como exemplo de alguém que foi cheio da graça e nos abriu esse caminho.


“Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado. Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.” (Hb 4:15-16)

Jesus é a nossa referência, como homem e mestre, de que podemos contar com a graça de Deus. Viver debaixo da graça é estar alinhado com a obra da cruz.


Uma das bases do Evangelho de Cristo é o conhecimento da graça de Deus. Não é pela moral, força, religião que alcançamos a presença de Deus; porém, pela graça viva de Jesus!


No cristianismo, a santidade não é nada mais do que andar em gratidão pela obra completa de Cristo. Após sermos justificados pela sua obra na cruz, a santidade é o resultado da nossa resposta de amor ao Pai. Isso não é um jugo, porém, uma alegria eterna! Só podemos amá-lo porque Ele nos amou primeiro!


Em seus momentos sozinho, Jesus procurava estar com o Pai. Ele se retirava para buscar a presença viva de Deus.


Esse artigo é um capítulo do livro: Da cultura Pornográfica à Alegria da Salvação.





Artigos

mockup-03_edited.jpg
Assine a nossa newsletter