Equilíbrio Interior

Atualizado: Set 24

“Não precisava que ninguém lhe desse testemunho a respeito do homem, pois ele bem sabia o que havia no homem”. (Jo 2.25)


Para seguirmos nossa jornada rumo ao equilíbrio emocional, à libertação de nossos traumas emocionais, precisamos entender um pouco sobre o que é restauração do equilíbrio das emoções. Tem a ver com a cura de uma alma que em algum momento adoecera. A manifestação desse adoecimento pode surgir em qualquer das partes daquilo que chamamos de alma:

Mente: intelecto, inteligência, raciocínio, razão, memória;


Vontade: livre arbítrio, o que permite a liberdade do homem tomar decisões (que podem ser boas ou más);


Consciência: capacidade que temos de acessar nossos próprios pensamentos, sentimentos e vontade. Aqui podemos discernir o que é correto, segundo nossas crenças interiores, e tomarmos um posicionamento de aceitação ou repulsa diante das demandas apresentadas;


Inconsciência: lugar que não temos acesso direto. Ali ficam gravadas todas as coisas que vivenciamos, desde o momento em que fomos concebidos. Embora não tenhamos acesso direto a essa memória, ela exerce influência em nossos sentimentos, decisões e ações conscientes.


Emoções: manifestação dos sentimentos.


O equilíbrio emocional é um estado interior caracterizado pela harmonia com os princípios de vida abundante explicitados na Palavra de Deus. Esse estado é alcançado quando tratamos as questões da alma, atreladas às questões do espírito, em unidade com o Criador, por meio do Espírito Santo em nós. Portanto, tem a ver com fé.


A cura das emoções está para santificação assim como a libertação está para a salvação. O povo de Israel foi liberto do cativeiro, saindo do Egito, uma representação do homem escravizado por satanás. Ao receber Jesus como Salvador, saímos do cativeiro da morte que estava nos espreitando, fomos salvos do inferno, da morte eterna. O povo israelita salvo do domínio de Faraó, libertando-se da escravidão, precisou entrar num processo de renovação da mente, saindo da forma de pensar de um escravo e conscientizando-se de que agora seriam uma nação peculiar de Deus. Foram quarenta anos de deserto até que a mentalidade escrava deu lugar à mentalidade de donos da Terra Prometida, o que fez com que se posicionassem como guerreiros.


Da mesma forma, nós saímos das mãos do adversário, e começamos uma jornada de renovação da mente; de tirar de nossa identidade as marcas de um tempo de escravidão, e vivermos em novidade de vida. A essa jornada chamamos de “santificação”.

Por termos nascido em um mundo decaído, nossa alma foi marcada com imundícies do reino das trevas, daí a necessidade de sermos curados, libertos. Portanto, para haver cura das emoções é preciso crer no Senhor Jesus Cristo como Senhor e Salvador. Ser aliançado com Ele.


Tornar as emoções ao perfeito equilíbrio significa derrubar as fortalezas doentias da mente, e edificar a mente segundo a mente de Cristo. Esse processo exige de nós posicionamento. Tem a ver com santificação, renúncias de certos sentimentos e condutas viciosas e prejudiciais, liberação de perdão àqueles que foram objeto de ferimentos do nosso coração, liberação de perdão para nós mesmos, e atitude de fé para tomarmos posse daquilo que Jesus fez por nós. É preciso a observância de três fatores:

Reconhecer que precisamos ser curados, que temos feridas abertas que necessitam de limpeza, purificação e cicatrização;


Renunciar as fortalezas que construímos na nossa mente, como forma de defesa, camuflando nossas mágoas e ressentimentos;


Reconhecer que Jesus Cristo é o Senhor, e a Ele temos de levar nossas dores, mágoas, medos e ressentimentos.


É desejo do Senhor sermos curados e libertos:


“Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso. Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde

de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas”. (Mt 11.28-29, destaque da autora) O Senhor anseia por nossa santificação: “Que o próprio Deus da paz os santifique inteiramente. Que todo o espírito, alma e corpo de vocês sejam preservados irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”. (2Ts 5.23, destaque da autora)

ADOECIMENTO DA ALMA


De um modo geral e universal, podemos dizer que todas as enfermidades passaram a afligir a humanidade a partir do estado pecaminoso em que ela se estabeleceu. A iniquidade, transmitida de geração a geração nos fez ter pensamentos e emoções baseados no pecado. Para chegarmos ao equilíbrio emocional, precisamos tratar

de enfermidades que vieram a partir de maldições que acompanharam nossas famílias, em várias gerações, de pecados pessoais e de traumas que sofremos.


SINTOMAS DO ADOECIMENTO


No meio científico usa-se o termo “doenças psicossomáticas” para indicar uma relação entre uma doença física e uma perturbação emocional. Nós, cristãos, que sabemos que alma e espírito estão ligadas, cremos que perturbações emocionais podem vir também de opressões malignas e contaminações que afetam alma e espírito, o que podemos

chamar de doenças “pneumossomáticas”. Daí a necessidade de voltarmos aos princípios de Deus para sermos libertos, descontaminados deste mundo tenebroso.


TRATAMENTO


O tratamento passa pelo caminho da santificação e mudança de mente. Portanto, trata de reconhecimento do princípio bíblico que foi quebrado, arrependimento e confissão do pecado. O perdão é uma chave poderosa, sem a qual não somos curados, temos de pedir perdão e perdoar a quem for preciso. Requer um compromisso com o Senhor para andarmos em obediência a Ele. Assumirmos nossas responsabilidades diante da vida,

deixando a posição de vítima, e levantarmos como filho de Deus, guerreiro do Senhor, ou seja, como alguém que está em posição de autoridade.


Faz parte do tratamento a mudança de hábitos. Trocar as vestes de tristeza por vestes de louvor, lembrando que a adoração traz a manifestação da Presença de Deus. Liberar o passado, deixar para trás aquilo que não edifica.“esquecendo-se das coisas que ficaram para trás...” (Fp 3.14-15)

Esse artigo é um capítulo do livro: Fontes para o Equilíbrio Emocional.



Artigos

mockup-03_edited.jpg
Assine a nossa newsletter